O Homem Lúcido

Resultado de imagem para lucidez

Estimado Irmão,

A Maçonaria não se mistura a dogmas de qualquer natureza e nem a situações que possam levar o homem e a sociedade à estagnação. Seus valores são altruístas, sempre objetivando a evolução moral, social e espiritual, não somente de seu obreiro, mas de toda a coletividade que o cerca. Nesse sentido ela se alicerça em princípios e fundamentos que exaltam o amor, a fraternidade, a sinceridade, o respeito ao próximo, a sensatez da palavra e, sobretudo, a verdade.

Contudo, nós Maçons somos parte de uma humanidade que ainda engatinha sob o ponto de vista do respeito a tudo que a cerca. O ser humano, e muitos de nós Maçons, infelizmente é caprichoso e tende a ver no seu semelhante o mal que não consegue enxergar em si mesmo. Por isso julga e transporta para o outro tudo que é próprio de sua forma de ser e agir, ou seja, atribui para os demais, os vícios e defeitos que em verdade são marcantes em sua personalidade – como é fácil e cômodo se sentir injustiçado e atribuir à outrem as suas mazelas íntimas e particulares.

Por isso todos os dias procuro fazer uma introspecção acerca das minhas atitudes diárias e tenho conseguido perceber algumas falhas que preciso corrigir. Para algumas as tratativas têm sido imediatas e para outras percebo que preciso me fortalecer e vencer certo orgulho que todo homem imperfeito tem dentro de si, mas um dia vencerei e serei senhor de mim mesmo.

Meu Irmão, é o orgulho, talvez o capricho, que incontestavelmente impede que o homem reconheça os próprios defeitos, especialmente aqueles de ordem ética e moral, e com isso viva em um eterno dilema entre a razão e a emoção.

Dito isso, como é triste percebermos em algumas pessoas, inclusive em Maçons, a futilidade de se sentirem mais importantes que as demais, ao ponto de crerem na superioridade de suas personalidades e mais, de exaltarem os seus defeitos como se qualidades fossem. Quanta falta de lucidez. Falando em lucidez, permita-me compartilhar um texto de beleza ímpar – O Homem Lúcido, um texto Caldaico do século VI a.C., para que seja lido e refletido sobre o quão sabedoria e lucidez, definitivamente, são essenciais.

O Homem Lúcido 

O homem lúcido sabe que a vida é uma carga tamanha de acontecimentos e emoções que nunca se entusiasma com ela, assim como não teme a morte. O homem lúcido sabe que viver e morrer são o mesmo em matéria de valor, posto que a Vida contém tantos sofrimentos que a sua cessação não pode ser considerada um mal.

O homem lúcido sabe que é o equilibrista na corda bamba da existência. Sabe que, por opção ou acidente, é possível cair no abismo, a qualquer momento, interrompendo a sessão do circo.

Pode também o homem lúcido optar pela Vida. Aí então, ele esgotará todas as suas possibilidades. Passeará por seu campo aberto e por suas vielas floridas. Saberá ver a beleza em tudo. Terá amantes, amigos, ideais. Urdirá planos e os realizará. Resistirá aos infortúnios e até às doenças. E, se atingido por algum desses emissários, saberá suportá-los com coragem e mansidão.

Morrerá o homem lúcido de causas naturais e em idade avançada, cercado por filhos e netos que seguirão sua magnífica aventura. Pairará então, sobre sua memória uma aura de bondade. Dir-se-á: aquele amou muito e fez bem às pessoas.

A justa lei máxima da natureza obriga que a quantidade de acontecimentos maus na vida de um homem iguale-se sempre à quantidade de acontecimentos favoráveis. O homem lúcido que optou pela Vida, com o consentimento dos Deuses, tem o poder magno de alterar esta lei. Na sua vida, os acontecimentos favoráveis estarão sempre em maioria.

Esta é uma cortesia que a Natureza faz com os homens lúcidos.

Pensem nisso. Pensem, como o homem lúcido, em optar pela Vida. Em urdir planos e realizá-los. Em resistir aos infortúnios. Em esgotar todas as possibilidades de ser feliz.

“A auto-imagem é a essência da personalidade e do comportamento humano. Mude a auto-imagem, e ambos serão transformados.”  (Maxwell Maltz, médico cirurgião e psicólogo norte-americano, pai da psicocibernética)

Um Tríplice e Fraternal Abraço,

Leonel Ricardo de Andrade
Grão-Mestre ad Vitam – GLMMG

Fonte: Revista Triângulo

Doação para manutenção do blog

Está gostando do blog, caro leitor? Só foi possível fazermos essa postagem graças ao apoio de nossos colaboradores. Todo o conteúdo do blog é fornecido gratuitamente, e nos esforçamos para fazer um ambiente amigável para os públicos interessados. O objetivo é continuar no ar oferecendo conteúdo de qualidade que possa contribuir com seus estudos. E agora você pode nos auxiliar nessa empreitada! Faça uma doação e ajude a manter o blog funcionando. Para garantir sua segurança utilizamos a plataforma de pagamentos PayPal e você pode contribuir usando o cartão de crédito, para isto basta clicar logo abaixo na bandeira correspondente ao seu cartão. Se preferir, pode também fazer sua doação por transferência bancária em favor de Luiz Marcelo Viegas da Silva, CPF 633.643.366-87, Banco do Brasil, Ag: 2115-6 CC: 14770-2.

R$10,00

Sobre Luiz Marcelo Viegas

Mestre Maçom da ARLS Pioneiros de Ibirité, nº 273, jurisdicionada à GLMMG. Membro da Escola Maçônica Mestre Antônio Augusto Alves D'Almeida - GLMMG e da Academia Mineira Maçônica de Letras. Contato: opontodentrodocirculo@gmail.com
Esse post foi publicado em Filosofia e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.