Ainda sobre o debate da existência de Deus

Deus

 
Este debate sobre a existência de Deus me lembra o fato de que na Idade Média uns acreditavam que a Terra era o centro do mundo e outros não achavam isso.

Até hoje tem gente que não acredita que o homem foi à Lua ou mesmo que Hitler fez o que fez.

Sabiam que se um dia o Sol se apagasse de repente, de uma hora para outra, nós só saberíamos ou sentiríamos isso após OITO MINUTOS? Pois é!

A verdade está além do que se acredita e do que não se acredita, ela é o que é.

O conhecimento oriental nos brinca com o símbolo do Yin e do Yang em que no cerne do Yin existe um pouco de Yang e vice-versa:

yin-yang.jpg

Igualmente, em nosso corpo temos os dois hormônios, tanto o masculino quanto o feminino, sabiam? Psicologicamente falando, os homens têm em sua psiquê a ânima, seu lado feminino, e a mulher o seu ânimus. Sem o hormônio masculino a mulher não menstruaria e o homem sem o hormônio feminino não produziria esperma.

Da mesma forma, dentro da objetividade existe um pouco de subjetividade e o contrário é verdadeiro. A suposta impessoalidade ou imparcialidade científica é falha vista que sempre o dito cientista olhará seu objeto de conformidade com seus próprios paradigmas, sejam eles quais forem.

Precisamos nos esforçar para nos posicionarmos no terceiro ponto, mais elevado e transcendente, para podermos debater nas mesmas bases. Caso contrário, será uma verdadeira Torre de Babel.

Uma das razões do debate ou dúvida sobre a existência de Deus se deve ao grave equívoco no enunciado de que o mau existe.

Realmente, se a pessoa afirmar que o mal existe e também o bem, esta pessoa ficará irremediavelmente sob o domínio da dicotomia, tal qual o Ritual do Companheiro Maçom adverte.

O maçom, principalmente o Mestre, deve ver as coisas pela terceira ponta do Sagrado Triângulo, pela óptica do vetor resultante entre os ortogonais real e imaginário, acima do bem e do mal, pela síntese entre tese e antítese (Dialética), além do passivo e ativo, masculino e feminino. Aí se encontra a divindade, a Verdade e a Justiça.

Outro dia recebi uma outra mensagem que ilustra com simbolismo esta questão. Na mensagem consta um suposto diálogo entre Einstein e seu professor, este que afirmava a não existência de Deus (se não me engano). Mas, naquele diálogo Einstein ensina que não existe o frio, e sim a ausência ou redução do calor (movimento molecular), bem como não existe o escuro, senão a diminuição da luz. Da mesma forma, o mal em si não existe e sim um distanciamento de Deus apenas.

Como escrevi anteriormente, Deus unifica, tal qual um ímã ou um cimento. Seu distanciamento é a fragilização desta união e consequentemente ocorre a dissociação (fragmentação) das coisas. Desta forma não é lógico e nem possível existir uma unidade maléfica, visto que sua essência seria oposta à unidade, seria a total e absoluta dispersão ou inexistência do mal. Se a unidade é a afirmação de algo, o mal seria a negação da existência de algo. Por isso que o Diabo não existe. Se o Diabo personificasse o mal, ele seria uma unidade que condensaria em si o mal. Ora, uma unidade só pode existir em virtude de algo que aglutine, que una, que integre, algo semelhante ao amor ou à unidade. Ou seja, se o Diabo existisse ele seria forçadamente Deus.

Autor: Juarez de Fausto Prestupa
 
Screenshot_20200502-144642_2

Só foi possível fazermos essa postagem graças à colaboração de nossos leitores no APOIA.SE. Todo o conteúdo do blog é disponibilizado gratuitamente, e nosso objetivo é continuar oferecendo material de qualidade que possa contribuir com seus estudos. E você também pode nos auxiliar nessa empreitada! Apoie nosso projeto e ajude a manter no ar esse que é um dos blogs maçônicos mais conceituados no Brasil. Para fazer sua colaboração é só clicar no link abaixo:

https://apoia.se/opontodentrodocirculo

Sobre Luiz Marcelo Viegas

Mestre Maçom da ARLS Pioneiros de Ibirité, nº 273, jurisdicionada à GLMMG. Membro da Escola Maçônica Mestre Antônio Augusto Alves D'Almeida - GLMMG e da Academia Mineira Maçônica de Letras. Contato: opontodentrodocirculo@gmail.com
Esse post foi publicado em Filosofia. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Ainda sobre o debate da existência de Deus

  1. RobertoBarbieri disse:

    Poesia inteligente.
    Combina muito bem o jogo da lógica dedutiva. Afinal o fato de não sabermos que existe, não quer dizer que não existe, na mesma proporção do quer dizer que existe.
    A lógica científica é falha pelo subjetivismo existente, susceptível às formas de pensar, porém não nos resta alternativa. Temos obrigatoriamente que tirar nossas conclusões com o que conseguimos pensar. De que outra forma poderíamos enchergar o conhecimento se não for pelo que conseguimos pensar?
    Até prova em contrário somos só um animal inteligente, ou não?
    Saudações fraternas,
    Roberto Barbieri

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.