A Essência

1aatumblr_liov7izrd31qdborso1_500

O maçom tem que caminhar uma longa trajetória, para se considerar, e ser, na realidade um verdadeiro Iniciado.

Ele, para entrar na Ordem, passará por duas portas. Uma, a porta física do Templo, onde o espera um estranho e intrigante ritual, mas ao mesmo tempo belo, um verdadeiro teatro simbólico e sublimado. É o dia do seu recebimento formal na Ordem, que quando bem desempenhado pelos Iniciadores, a cerimônia o marcará, de forma indelével na mente. A segunda porta é simbólica. Do ponto de vista mental, é um acesso através de uma pequena fresta, isto é, uma pequena abertura que está fechada para o Inconsciente.

Uma vez a venda cobrindo a visão, isto fará com que o Iniciando desperte e aguce os outros órgãos dos sentidos, e ele então enxergará com os olhos da mente e se colocará especialmente numa situação de pura introspecção que nada mais é que uma verdadeira jornada interior e que para a grande maioria dos Iniciandos é o reencontro, ou mesmo o primeiro encontro, súbito, inesperado e surpreendente com o seu duplo Eu este, há muito adormecido, talvez nunca procurado, ou quem sabe ele nem soubesse da existência de um duplo estado de sua consciência. O profano terá que, justamente auxiliado por uma técnica iniciática perfeita e bem desempenhada, usando-se uma ritualística bastante eficiente, fluente e fácil, franquear essa barreira, e passar por ela, mas para isso ele terá que se sentir humilde, pequeno, diminuto, ínfimo. A Iniciação nesse primeiro dia de contato com a Maçonaria se consubstancia nesse detalhe. Será apenas a conscientização de que existe este outro estado do Ser, um outro estado da mente.

É necessário frisar que não haverá com essa conscientização a descoberta instantânea de todo o conhecimento humano, ou maçônico, dos mistérios ou segredos, mas tão somente a auto revelação de sua consciência dupla, tomando-se conhecimento que existe em cada um de nós um outro EU.

Esse aspecto é apenas o começo. Essa revelação não é tudo. A verdadeira Iniciação se processará durante toda a vida, através do estudo, da pesquisa, da meditação, da dedução, do conhecimento adquirido corretamente, e do auto aperfeiçoamento. Ela será praticamente inatingível em sua totalidade, porque o Homem jamais atingirá a perfeição. Ele tenderá a chegar perto, e quanto mais perto chegar, mais poderá ser considerado um Iniciado.

Já na própria Antiguidade o conceito de Iniciação foi se atualizando e se transformando numa forma de conhecimento gradativo pelo qual o Iniciando receberá  instruções através de mensagens dogmáticas, ainda que hipotéticas, e ele, a partir delas, desenvolverá, por seus próprios meios, a sua iluminação interior, das quais apenas ele possui a semente ou germe.

Se considerarmos que o maçom tem duas entradas, para permanecer na Ordem ele terá didaticamente duas saídas para escolher qual adotará.

Ele escolherá aquela do seu aprimoramento pessoal, ou então aquela que identifica apenas a sua passagem física pela Maçonaria.

Ele terá que escolher a opção correta e isso será tão somente uma decisão sua.

O grande mérito seu, de sua mente, será pessoal, intransferível, ninguém conseguirá lhe ensinar, ele aprenderá sozinho por qual das duas saídas optará.

Grande parte dos maçons não percebe, ou não quer perceber, que está tendo a grande opção enquanto passa pelos graus simbólicos, aliás, graus estes que constituem a verdadeira Maçonaria. Infelizmente, estes maçons parecem ser maioria, e embevecidos acham que a Ordem é festa, banquetes, auxilio mútuo, graus, política de lojas, fachada para outras atividades, belos aventais, distintivos na lapela, e outras tantas dicotomias, que são subprodutos ou complementos que a Ordem coloca à disposição de todos. Alguns até acabam descobrindo através dos anos que tudo isso não está coerente, não está certo. Mas acham que é tarde demais para mudar. Não têm coragem. Continuarão inertes e coniventes, pois já estão um tanto quanto idosos, e esperam que os maçons mais jovens mudem tal situação. Puro engano. Um verdadeiro maçom jamais poderá se considerar idoso, mas sim experiente, humilde e sábio, e ele terá a obrigação de ter a ousadia e firmeza de mudar o que pode e deve ser mudado. Esta é em síntese, a primeira saída que normalmente a maioria dos maçons escolhe ou prefere.

Mas existem aqueles que descobrem durante a sua vivência maçônica que há algo mais profundo, mais abrangente por trás das mensagens dos rituais, ou das migalhas maçônicas que as Lojas oferecem em matéria de ensinamentos; de toda aquela ganância em torno do poder maçônico, da bulimia maçônica, também conhecida por fome exagerada de graus, sem conhecer a fundo o próprio grau em que se está colado; da filantropia amadora e ingênua, mal feita; da fraternidade hipócrita que alguns são hábeis em aplicá-la, enganando outros, inocentes e bons Irmãos; da falta de instruções; além de outras inúmeras razões. Enfim, decidem mudar porque descobriram a ESSÊNCIA da natureza da Entidade para qual foram chamados a integrar e, ao entenderem a sua profundidade, mudam completamente seu comportamento mental.

Passam a entendê-la como uma Escola de Vida, descobrem que sua principal função é político-social, e que eles serão consequentemente os construtores da futura sociedade mundial, que terão que amadurecer como cidadãos, que terão que ser embriões catalisadores dos movimentos de vanguarda, atuando como aglutinadores de ideias, de sonhos que se tornarão realidades, não responsabilizando nem Lojas e nem Irmãos com relação a esse compromisso que será só deles, pois eles serão o fermento que provocará os fenômenos sociais e que tão somente a introspecção, a meditação, a análise exata, o raciocínio transparente e o estudo eficiente e correto da Filosofia, da História, do Simbolismo do Ritualismo e das coisas pertinentes à Ordem lhes darão o poder do conhecimento, o qual poderá ser repassado ou dividido com os demais adeptos, mas ninguém lhes tirará esta riqueza intelectual e consequentemente, nesse caminho, deslumbrarão toda a espiritualidade que esse estado mental encerra.

Descobriram simplesmente a ESSÊNCIA porque acabaram de despertar para um mundo novo…

Quando chegarem nesta fase mental, o autoconhecimento e a espiritualidade adquiridos farão com que estes Irmãos mesmo que não se apercebam, e se perceberem não deixarão que os outros notem, já estarão alguns passos à frente deles.

Considera-se que eles, avançando em seus progressos, penetrarão nas profundezas do Subconsciente ou Inconsciente, alcançarão a Consciência Cósmica e, indo além, chegarão à Superconsciência que é nada mais que o próprio GADU, o modo de ser mais justo, bom, racional e espiritual de um livre pensador.

Uma verdadeira transformação ocorrerá na mente quando se perceberá uma sensação que não é de insatisfação com esta humanidade imperfeita, ela é muito mais um sentimento de calma, que mais parecerá uma percepção de humildade de bondade e compreensão, que será mais uma entrega de si mesmo, a uma força maior que, embora desconhecida objetivamente, sentem-na presente. E assim conhecerão a expansão do campo da consciência, e verão que as coisas se tornam mais belas, a vida tem mais sentido, quase não ficam aborrecidos ou irritados, porque esse estado especial desviará sua agressividade instintiva para algo mais construtivo. Esse autoconhecimento é considerado como uma verdadeira catarse, limpeza ou purificação da mente, porque ele mostra, estabelece e orienta a força capaz de criar, reprogramar e incentivar a condução da própria vida. Nesse momento o maçom estará preparado para ser um verdadeiro líder e também estará no caminho seguro em direção à sua verdadeira Iniciação Real.

Para se chegar a esse estado mental, percorrer-se-á um caminho tortuoso, difícil, gratificante, mas totalmente individual, pois somente o adepto sem auxilio de quem quer que seja, o alcançará. Esse é o autêntico segredo maçônico. Os sinais, palavras toques rituais e etc., não são em realidade os verdadeiros segredos. O Irmão que chegar a essa situação mental não terá condições, nem que queira, de transmiti-la, descrevê-la ou conceitua-la. Não conseguirá. Será impossível. É inexprimível. É um estado da alma que não estará ao alcance de ninguém, a não ser tão somente de sua psique. Será só seu. É o mesmo mecanismo que se observa nas transformações mentais dos gurus, dos santos, dos xamãs, dos jejuadores, de alguns paranormais e dos Grandes Iniciados.

Estará em estado de expansão da mente, em ondas cerebrais “alfa” ou “teta”. Acresça-se que não é só a Maçonaria que realiza Iniciações. As grandes escolas iniciáticas da antiguidade, das quais somos herdeiros, e mesmo outras entidades iniciáticas do presente, basicamente sempre utilizaram técnicas muito semelhantes.

Temos que ressaltar que nosso Inconsciente sempre busca satisfazer nossos desejos instintivos, mas eles são bloqueados por outra parte da mente chamada de Superego. Nossa civilização incide neste fato, onde os conflitos desse bloqueio geram a infelicidade do homem. O Iniciado deverá romper essa barreira. É uma bela e fantástica aventura, essa ruptura. Este é o ideal superior que ele se proporá a realizar. A sua mente deverá se abrir. Eis a sua tarefa. A trajetória percorrida para se chegar a este ideal superior é muito linda e rica em sabedoria, por causa das observações, incidentes de percurso e das experiências vividas para se chegar lá. Quantas lindas verdades ocultas serão descobertas a caminho. O percurso será tão importante quanto o ideal a ser atingido. É uma linda e longa viagem para dentro de SI MESMO.

Autor: Hercule Spoladore
Membro da Loja de Pesquisas Maçônicas “Brasil” – Londrina
Screenshot_20200502-144642_2

Só foi possível fazermos essa postagem graças à colaboração de nossos leitores no APOIA.SE. Todo o conteúdo do blog é disponibilizado gratuitamente, e nosso objetivo é continuar oferecendo material de qualidade que possa contribuir com seus estudos. E você também pode nos auxiliar nessa empreitada! Apoie nosso projeto e ajude a manter no ar esse que é um dos blogs maçônicos mais conceituados no Brasil. Para fazer sua colaboração é só clicar no link abaixo:

https://apoia.se/opontodentrodocirculo

Sobre Luiz Marcelo Viegas

Mestre Maçom da ARLS Pioneiros de Ibirité, nº 273, jurisdicionada à GLMMG. Membro da Escola Maçônica Mestre Antônio Augusto Alves D'Almeida - GLMMG e da Academia Mineira Maçônica de Letras. Contato: opontodentrodocirculo@gmail.com
Esse post foi publicado em O Maçom e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

4 respostas para A Essência

  1. Cláudio Rodrigues disse:

    Querido Ir Hercule Spoladore, um dos poucos, meu GURU !
    TFA !
    Cláudio Rodrigues – BH

    Curtir

  2. Carlinhos de Brito disse:

    Belo trabalho, escreveu-se sobre a essência do iniciado e seu verdadeiro sentido no aprimoramento maçônico.

    Curtido por 1 pessoa

  3. João Nelson disse:

    Excelente trabalho do irmão Hercule, simplesmente fantastico…

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.