O Bode na Maçonaria

O Ponto Dentro do Círculo

Apresento uma questão curiosa: como pôde o bode-preto dos maçons ser considerado como a representação animal do diabo?

Note que a Bíblia não descreve o diabo. Os primeiros artistas plásticos considerando suas origens angelicais, mostraram-no como um ser belo e luminoso. Mas tarde, durante a Idade Média, originou-se a figura grotesca com chifres, caudas, falos, pés de cabra, corpo peludo e características caprinas. O bode desde tempos imemoriais, esotericamente, o é um animal simbólico, identificado ora com o deus Pã, ora com o deus Dionísio/Baco, pelo qual as jovens se deixavam possuir nos cultos da antiguidade. É o herus socer. E, ainda assim, o bode tornou-se a figuração animal mais identificado com o Diabo, entre nós e em todo o mundo. Há explicações?

À guisa de introdução, tenho consciência de que ao me dispor discorrer sobre o tema estou enveredando por terreno escorregadio, movediço e sem opções de conclusão…

Ver o post original 3.951 mais palavras

Sobre Luiz Marcelo Viegas

Mestre Maçom da ARLS Pioneiros de Ibirité, nº 273, jurisdicionada à GLMMG. Membro da Escola Maçônica Mestre Antônio Augusto Alves D'Almeida - GLMMG e da Academia Mineira Maçônica de Letras. Contato: opontodentrodocirculo@gmail.com
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.