A Abóbada Celeste

A.'. R.'. L.'. S.'. "Stella Matutina" nº 658: O céu de uma Loj ...

Deus disse: “Que haja luzeiros no firmamento do céu para separar o dia e a noite; o grande luzeiro para governar o dia e o pequeno luzeiro para governar a noite, e as estrelas”. (Gên. 1:14 e 16)

Como é do conhecimento de todos os irmãos, nosso  local de reunião denomina-se Templo, que tem  a forma de um retângulo e simbolicamente tem comprimento do Oriente ao Ocidente, largura do Norte ao Sul, profundidade da superfície ao centro da Terra e altura da Terra ao Céu, sendo que está tão vasta  extensão do Templo simboliza o Universo e a universalidade da Maçonaria e nossa oficina interior. Assim, como o Templo representa o Macrocosmo, nós somos o Microcosmo.

Entre os vários símbolos de nossa Ordem, temos a Abóbada Celeste, que decora o teto de nossa Loja, na cor azul com nuvens brancas e diversos astros, entre os quais os Planetas, cada um representando um cargo em Loja: É a representação do firmamento celeste, ou seja, do Grande Arquiteto do Universo. Tem também como função mística a produzir energia e contemplação e meditação.

A essa Abóbada Celeste foram destinados os mais ricos ensinamentos, que com sua forma e desenhos, simbolizam as grandezas do Universo, sendo que, a colocação dos Astros, variam de rito para rito, sendo que o que vamos tratar neste trabalho, irá ser o colocado no  Templos da Grande Loja de Minas Gerais.

Do Oriente para o Ocidente e de Norte para o Sul (existem pequenas variações conforme o Rito e a Potência Maçônica), temos 17 astros, dos quais 16 deles estão com seus nomes especificados nos Rituais e um inominado. São eles: Sol, Mercúrio, Júpiter, Spica, Aldebaran, Híadas, Plêiades, Orion, Formalhaut, ao lado, a Estrela sem nome, Saturno. Ursa Maior, Arcturus, Regullus, Antares, Vênus e Lua.

Pois bem, agora faremos uma analogia entre a Abóbada Celeste, existente no teto de nossa Loja, os respectivos cargos em Loja.

SOL: Na mitologia grega era Hélios, ou Apolo dos romanos. Estrela de 4ª grandeza, fonte de luz e vida em nosso planeta, na posição mais oriental, representa o Venerável Mestre. É o símbolo do Deus único. Ele encontra-se também no painel do Aprendiz, no avental do Mestre Instalado, como símbolo da Luz celestial.

MERCÚRIO: O deus Hermes dos gregos, o mensageiro dos deuses, o menor e mais rápido dos planetas, carregava um bastão, com duas serpentes enroladas. Por sua posição no Oriente, próximo e a direita do Sol (Venerável Mestre), e suas atribuições, representa o Primeiro Diácono.

JÚPITER: O deus Zeus dos gregos é o maior dos planetas do sistema solar, posicionado no Oriente. Ele é o guardião da estabilidade que se deve ter em Loja. Representa o Ex-Venerável.

SPICA: Espiga é a mais brilhante das estrelas da constelação de Virgem. Na  verdade são duas estrelas que rotacionam entre si, mas a velocidade e o espaço entre elas são tão reduzidos que a olho nu parecem ser uma única estrela. Representa o cargo de Secretário;

ALDEBARAN: Nome que provém do árabe “al-dabarãn”, que significa “aquele que segue” ou “olho do touro”. Na Grécia antiga era conhecida como “tocha” ou “facho”. É uma estrela de primeira magnitude e a mais brilhante da constelação de Touro. Representa o cargo de Tesoureiro;

HÍADES: Na mitologia grega, as Híades eram ninfas filhas de Atlas e Etra. As Híades são um aglomerado estelar da constelação de Touro. As cinco estrelas do aglomerado representam os Companheiros;

PLÊIADES: Na mitologia grega as Plêiades eram as sete filhas de Atlas e Peione (Electra, Maia, Taigete, Alcione, Celeno, Asterope e Mérope). Peione, quando atravessava a Beócia com suas sete filhas, foi perseguida pelo caçador Órions por sete anos e Júpiter, com pena delas, apontou um caminho até as estrelas e elas formaram a cauda da constelação de Touro. Tal como as Híadas, é um aglomerado estelar da constelação de Touro, um grupo de estrelas visível nos dois hemisférios, também conhecidas como Sete Irmãs ou Sete Cabrinhas. Pela numerologia do número sete, encontrada inclusive na mitologia grega, representam os Mestres;

ÓRION: Na mitologia grega, Órion é o herói amado por Ártemis (Diana dos Romanos), ambos grandes caçadores. Apolo, irmão de Ártemis, por não aprovar o romance entre os dois envia um escorpião para matá-lo e Ártemis, tentando acertar o escorpião, acaba atingindo Órion. Em meio às lágrimas, Ártemis pede a Zeus para colocar Órion e o escorpião entre as estrelas. Órion é uma constelação do equador celeste, com estrelas brilhantes e visíveis em ambos os hemisférios. Das estrelas que compõem a constelação, três são as mais visíveis, formando o cinturão de Órion, no centro da constelação e popularmente conhecidas como “As Três Marias”. Pela numerologia do grau, Órion com suas “Três Marias” representa o Aprendiz;

URSA MAIOR: A Ursa Maior é uma grande e famosa constelação do hemisfério norte, situada próximo ao Polo Norte. No Egito antigo a constelação era colocada dentro de um grupo maior de estrelas e a desenhavam como uma procissão com um touro puxando um homem deitado, havendo a interpretação de que seria Osíris morto, com sua viúva Ísis e o filho da viúva Hórus, em procissão. A interpretação maçônica seria que representa a Lenda de Hiram;

FORMALHAUT: Palavra de origem árabe que significa “boca do peixe”. É conhecida também como Alpha Piscius Austrinis, a estrela mais brilhante da constelação de Peixes. Corresponde ao cargo de Chanceler;

SATURNO: Na mitologia grega – Cronos – É o sexto planeta do sistema solar e possui 15 satélites, dos quais somente 9 eram conhecidos quando os Rituais foram elaborados. Saturno representa a Cadeia de União, seus 3 anéis representam os 3 Graus Simbólicos e seus nove satélites representam os cargos de Venerável Mestre, Primeiro Vigilante, Segundo Vigilante, Orador, Secretário, Tesoureiro, Chanceler, Mestre de Cerimônias e Cobridor Interno. Na Loja representa o Cobridor Externo.

RÉGULUS: Significa “pequeno rei”, “regente” em latim e já foi conhecido como “Cor Leonis” (em latim) e “Qaib al-Asad” (em árabe), que significam “Coração de Leão” em virtude da brilhante posição que ocupa na constelação de Leão, sempre mantendo a posição de comando e direção. Como Régulus é o “regente”, corresponde ao cargo de Mestre de Cerimônias.

ARCTURUS: Na mitologia grega, Arcturus é o ateniense Icário, que recebeu o segredo da elaboração do vinho e ofereceu a pastores que, acreditando terem sido envenenados, mataram Icário. Seu cão Maera ficou latindo sobre o corpo morto de seu dono, chamando a atenção de sua filha virgem Erigone, que se enforcou. Houve então uma praga que afligiu as mulheres atenienses que só foi aplacada quando os assassinos foram punidos e se instituiu um festival em homenagem a Icário e Erigone. Os deuses então transformaram ambos em estrelas: Erigone virou a constelação de Virgem e Icário a estrela Arcturus, a mais brilhante da constelação do Boiero e a quarta estrela mais brilhante do céu noturno. Corresponde ao cargo do Orador;

VÊNUS: Ou Afrodite,  a Deusa da Beleza e do Amor dos gregos antigos. Segundo planeta do sistema solar e o mais próximo da Terra. É conhecido também como Estrela Vésper, Estrela da Manhã, ou Estrela Dalva. Como está próximo da Lua (Primeiro Vigilante), representa o Segundo Diácono.

LUA: O satélite da Terra, por sua localização na Abóboda Celeste, corresponde ao Primeiro Vigilante. Ela sempre esteve representada nas escolas dos antigos mistérios, era a Deusa grega Selene, ou Luna dos romanos. Deusa Isis, mãe de Hórus e esposa de Osíris. Na loja aparece acima do Altar do Segundo Vigilante, e no painel do Aprendiz.

ANTARES: Nome proveniente de Anti-Ares (Anti-Marte) por se assemelhar, rivalizando com seu tamanho, cor avermelhada e brilho, ao planeta Marte. Para os antigos persas (3000 a.C.) era uma das estrelas guardiãs do céu. Corresponde ao Cobridor Interno

ESTRELA SEM NOME: É o único astro sem estar nominado nos Rituais. É a Estrela Pitagórica ou Pentagrama ou Pentalfa e, por sua posição no Sul, é interpretada como sendo a Estrela Flamígera, que é um símbolo privativo do Grau de Companheiro. Representa, por sua posição, o Segundo Vigilante;

Temos então a seguinte correspondência: Venerável Mestre (Sol), 1º Vigilante (Lua), 2º Vigilante (Estrela Flamígera); Orador (Arcturus), Secretário (Spica), Tesoureiro (Aldebaran), Chanceler (Formalhaut), Mestre de Cerimônias (Régulus), Cobridor Interno (Antares), 1º Diácono (Mercúrio), 2º Diácono (Vênus), Ex Venerável (Júpiter), Mestres (Plêiades), Companheiros (Híades), Aprendizes (Órion), Cadeia de União (Saturno), Ursa Maior (Lenda do Grau de Mestre)

Podemos notar, que falta em nosso céu, além de Urano (Céu), Netuno (Poseidon)  e Plutão(Hades), já que estes planetas, não são vistos a olho nu,  da Terra (o próprio Templo) e Marte. Os três primeiros por não serem vistos a olho nu, portanto, fora da simbologia de nossa Ordem. A Terra por representar o nosso Templo. Mas e Marte, que está tão próximo da Terra, não esta representado em nosso Templo? É que na mitologia grega, Marte ou Ares é o deus da guerra e evidentemente não poderia estar na Abóboda Celeste Maçônica, visto que, visamos a paz, a harmonia e a concórdia universal, portanto, ele não pode ser representado. Então, pode-se dizer que, simbolicamente, Marte está do lado de fora do Templo, ambiente profano de incompreensões, lutas e tumultos, sendo que ele representa o Cobridor Externo.

Apesar desse nosso céu, representado em nossos Templos, ser o do Hemisfério Norte, pois o no Hemisfério Sul ele é diferente, isso não tira o simbolismo e a magia que devemos ter quando contemplado e visualiza-lo.

Copilado por Dermivaldo Collinetti  do livro Dicionário de Símbolos Maçônicos: Graus de Aprendiz, Companheiro e Mestre do Irm.’. Almir Sant’Anna Cruz.

Dermivaldo é Mestre Maçom da ARLS Rui Barbosa, Nº 46 – GLMMG – Oriente de São Lourenço e, para nossa alegria, um colaborador do blog.

Screenshot_20200502-144642_2

Está gostando do blog, caro leitor? Saiba que só foi possível fazermos essa postagem graças ao apoio de nossos colaboradores. Todo o conteúdo do blog é disponibilizado gratuitamente, e nos esforçamos para fazer de nossa página um ambiente agradável para os públicos interessados. O objetivo é continuar oferecendo conteúdo de qualidade que possa contribuir com seus estudos. E agora você pode nos auxiliar nessa empreitada! Apoie nosso projeto e ajude a manter no ar esse que é um dos blogs maçônicos mais conceituados no Brasil. Para fazer sua colaboração é só clicar no link abaixo:

https://apoia.se/opontodentrodocirculo

Outras Referências

A Maçonaria e sua Herança Hebraica O Templo do Rei Salomão na Tradição Maçônica. José Castellani – Editora A Trolha Alex Horne – Editora Pensamento

Maçonaria e Astrologia A Herança Espiritual do Egito Antigo. José Castellani – Editora Madras Christian Larré – Ed. Biblioteca Rosacruz

Origens do Misticismo na Maçonaria Ministério do Homem-Espírito. José Castellani – Traço Editora Louis Claude Saint Martin – Ed. Biblioteca Rosacruz

O Esoterismo na Ritualística Maçônica. Eduardo Carvalho Monteiro – Editora Madras

A Corrente da Fraternidade. Rizzardo Da Camino – Ícone Editora

Sobre Luiz Marcelo Viegas

Mestre Maçom da ARLS Pioneiros de Ibirité, nº 273, jurisdicionada à GLMMG. Membro da Escola Maçônica Mestre Antônio Augusto Alves D'Almeida - GLMMG Contato: opontodentrodocirculo@gmail.com
Esse post foi publicado em Simbolismo e Símbolos e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.