Solstício de Verão – 2020

Feliz dia de Solstício de Verão! | Reiki em Portugal

“Quando as pessoas são felizes, não reparam se é Inverno ou Verão.” (Anton Tchekhov)

No ano que se encerra, navegamos por mares turbulentos. 2020 teve seus percalços, com vários tropeços, crises quase apocalípticas, como as queimadas, tempestades, deslizamentos, o ciclone bomba que atingiu o sul do país e a COVID-19, a mais grave pandemia da era moderna, que pegou a todos desprevenidos, com impactos na economia global, de vidas que se foram e o isolamento social (“fique em casa”), inédito nos tempos modernos, evocando sentimentos de perplexidade, inquietação, sensação de vulnerabilidade, de finitude e até de medo.

Tempo suspenso, portas trancadas, cortinas cerradas, famílias separadas, mortes transformadas em números, rituais de despedida suspensos, sistema global econômico e de produção paralisados. Novas formas de administrar o espaço físico doméstico, de suprir a casa e conciliar atividades profissionais. De outra sorte, água suja se limpando, poluição diminuindo e pássaros retornando aos locais de onde tinham desaparecido.

A natureza abriu a “Caixa de Pandora” e deu o seu recado. Tudo temperado com fake news, o cheiro desagradável do esgoto das redes sociais, fortes emoções, porém com algumas conquistas e desafios superados.

Que vontade de dizer agora, ufa, passou! Mas, surge uma chamada “segunda onda” e os cuidados e angústias se redobram. Parece que um melhor cenário se vislumbra, pois já existe uma vacina chegando por aí. Por ora, testemunhamos o quase fim do mundo e sobrevivemos a ele. Sairemos certamente mais fortes e com outra visão de mundo. Mas a que custo? Ficam as lições assimiladas na dura experiência. “Quem tem ouvidos, ouça”.

Hoje, e ainda bem que estamos aqui, soa sempre como mais do mesmo: adeus ano velho, feliz ano novo. Calendário quase chegando ao fim. Verão se aproximando. É momento de deixarmos que as cargas negativas virem cinzas ou ainda vamos querer falar durante algum tempo sobre a pandemia? A expectativa da virada engendra reflexões. Repensar os modos de vida, fazer o balanço de erros e acertos, rever escolhas e focar em onde melhorar e restaurar as resoluções de início de novo período. Enfim, garimpar novidades ou, para muitos, tentar voltar ao ponto em que nos encontrávamos antes do vírus dar as caras, resgatar o sabor da liberdade e de convivência harmônica e festiva.

Alheia a tudo isso, na natureza é tempo de muita luz para que a energia gerada renove seu ciclo. Nova época, uma nova estação. Fertilidade e prosperidade! O verão desperta energias. É o simbolismo da vida que se renova e ganha força dentro de cada ser. Mas, será só isso mesmo?

Na dura realidade, e presente alguma incerteza em relação a 2021, difícil não defrontar novamente com as constantes ameaças de explosão de gastos com as inevitáveis despesas de início de ano: IPVA, IPTU, matrículas escolares, férias, reajustes de preços e, como sempre anunciado no retrato do verão, mais do mesmo em termos de tragédias, que poderiam ser evitadas caso as políticas públicas fossem efetivas e não apenas promessas e mais promessas.

No simbolismo da virada de ano uma série de projetos da vida pessoal, fracassados ou suspensos na última temporada, se revigoram, como mudanças de hábitos alimentares, fuga do sedentarismo, planos de exercícios físicos regulares, projetos de montar um negócio próprio, recuperação da liberdade perdida, as festas, os encontros presenciais, poupança para um futuro tranquilo, ser mais tolerante, manter a calma custe o que custar, dentre outros sonhos.

Avaliações e construção de narrativas sobre o que não foi possível realizar no ano que se encerrou muito antes de seu fim ou dos quais desistimos mesmo antes de tentar, são sempre condescendentes e justificadoras dos fracassos colhidos, mas não impedem a expectativa de que tenhamos sucesso na nova temporada que se abre, pois o que não nos falta é Fé, Esperança, Amor e Gratidão pelas conquistas realizadas, pelas lições aprendidas.

É importante ressignificar compromissos e ter consciência sobre nossas limitações, mas, torna-se imprescindível potencializar nossas capacidades e manter o otimismo em relação ao porvir, sendo realistas sobre nossas possibilidades, as boas e não tão boas que podemos criar. As transformações que almejamos dependem somente de nós mesmos.

Sem medo de ser repetitivo, depois de tudo que passamos é até agradável repetir a tradição de renovar os votos de um Feliz Ano Novo, pois o sentimento que sempre se anuncia nesse período é a esperança, alimentada pelas inúmeras oportunidades que a vida nos oferece. Deixar para começar depois do carnaval, que esperamos aconteça, costuma ser um pouco tarde, pois o novo ano já terá adquirido o seu ritmo e as mudanças novamente restarão adiadas.

Para começo pode parecer pouco, mas procuremos deixar para trás a lógica do confronto, em especial das cruzadas ideológicas, e pratiquemos a tolerância, o respeito à diversidade e a colaboração onde for necessário. E busquemos, na espiritualidade, o equilíbrio das energias que melhor direcionem e inspirem nossas ações para sermos construtores de uma sociedade mais justa. E que as oportunidades a serem exploradas amenizem a trágica herança deixada pela pandemia e que ela não deixe vestígios em nossos corações.

Afinal, é bom aproveitar esse breve momento de pura reflexão. Depois volta tudo ao normal, às velhas atitudes, à sempre saudosa e reconfortante rotina da qual éramos tão críticos. E que saudades daqueles dias! A roda da vida segue girando, neste “País abençoado por Deus e gigante pela própria natureza”.

Na expectativa de que a Palavra Semestral da tradição maçônica, sempre atualizada na passagem dos solstícios, sirva de inspiração para a jornada que logo recomeça.

Autor: Márcio dos Santos Gomes

Márcio é Mestre Instalado da Loja Maçônica Águia das Alterosas – 197 – GLMMG, Oriente de Belo Horizonte. Membro da Escola Maçônica Mestre Antônio Augusto Alves D’Almeida e da Academia Mineira Maçônica de Letras.

Screenshot_20200502-144642_2

Estimado leitor, contribuindo a partir de R$ 2,00 você ajuda a manter no ar esse que é um dos blogs maçônicos mais conceituados no Brasil. Clique no link abaixo e apoie nosso projeto! Contamos com você!

https://apoia.se/opontodentrodocirculo

Sobre Luiz Marcelo Viegas

Mestre Maçom da ARLS Pioneiros de Ibirité, nº 273, jurisdicionada à GLMMG. Membro da Escola Maçônica Mestre Antônio Augusto Alves D'Almeida - GLMMG e da Academia Mineira Maçônica de Letras. Contato: opontodentrodocirculo@gmail.com
Esse post foi publicado em Simbolismo e Símbolos e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.